Mantras – Caminhos do Dharma
Browsing Category

Mantras

Mantras

Mantra de Shiva para a libertação (mahā-mṛtyuñjaya-mantra)

21 de abril de 2018

Oṁ tryambakaṁ yajāmahe

sugandhiṁ puṣṭivardhanam

urvārukamiva bandhanān

mṛtyor mukṣīya māmṛtāt

Tradução: Reverenciamos o senhor Shiva (aquele que tem três olhos e assim enxerga além do que podemos ver). Ele é fragrante e nutre todos os seres. Assim como no momento da colheita um pepino é arrancado da trepadeira onde está preso, que ele nos liberte da morte, concedendo-nos a imortalidade. (Ṛg Veda 7.59.12)

Mantras

Mantra de Shiva

18 de fevereiro de 2018

Mantra de Shiva

Shiva Shiva Shiva Shambho

Shiva Shiva Shiva Shambho

Mahadeva Shambho, Mahadeva Shambho

Om namo Shivaya _/\_

Mantras

Om Namo Bhagavate Vasudevaya / Preciso encontrar uma canção

4 de dezembro de 2017

Preciso encontrar uma canção (Chandramukha Swami)

Muitas vidas e só uma solidão, tentando enganar meu coração

Estou perdido, estou cansado, preciso encontrar uma canção

Os meus olhos já não conseguem ver, mus ouvidos já não podem escutar

A minha língua está sedenta, preciso encontrar uma canção

Uma canção que me deixe mais sereno, uma canção que me devolva a paz

Que me faça ser criança, preciso encontrar uma canção

No silêncio posso te perceber nas batidas do meu próprio coração

Ó Govinda, ó Gopāla! Finalmente encontrei essa canção

Sua flauta é mais doce que o mel, faz dançar minha alma de emoção

Nessa ciranda encantada, foi quando segurei em sua mão

E agora já não ando mais sozinho, vivo a cantar esse refrão e sei por quê

Ó Govinda, ó Gopāla! Estou com saudades de você

Govinda jaya jaya, Gopāla jaya jaya…

Hare Kṛṣṇa Hare Kṛṣṇa Kṛṣṇa Kṛṣṇa Hare Hare Hare Rāma Hare Rāma Rāma Rāma Hare Hare

Mantras

Meditação matinal ao sopé do Pico das Agulhas Negras

17 de outubro de 2017

Lugares como esse inspiram a meditação.

Na verdade, a natureza é como um livro escrito por Deus ou como uma obra de arte do Criador onde podemos aprender coisas muito profundas.

Desde os 14 anos de idade eu vinha aqui caminhar e escalar. Depois, como cadete da Academia Militar das Agulhas Negras, fiz treinamento de combate em montanha nesse mesmo lugar. Agora, após mais de uma década morando na Índia como monge, volto aqui para meditar e contemplar a beleza única dessa região.

Mantras

O que é Mantra e como ele funciona

13 de outubro de 2017

Mantra é uma expressão do som primordial e remete à vibração natural de cada coisa. Entenda o PRINCÍPIO FUNDAMENTAL por trás dessa ciência do som (Mantra-Vidya). Quem tiver interesse em se aprofundar pode baixar nosso e-book gratuitamente no link abaixo: 

Mantras

Meditação em Deus menino (Damodarastakam)

1 de outubro de 2017

Oito versos dedicados a Krishna em sua forma de menino travesso (Damodara)

Certa vez, o pequeno Krishna entrou na dispensa de sua mãe e “roubou” vários potes cheios de iogurte que ele comeu com seus amiguinhos e ainda distribuiu o restante aos macacos…

Quando sua mãe chegou ao local e os pegou em flagrante, ele tentou fugir mas acabou sendo apanhado por sua mãe, que correu mais rápido. Tendo sido amarrado pela cintura a um pilão de madeira depois dessa traquinagem, Krishna ficou conhecido como Damodara (damo=corda; udara=barriga).

Assim, o Senhor Supremo que grandes místicos tentam alcançar através de suas meditações foi capturado por sua mãe Yashoda, que conseguiu atá-lo não pela força das cordas, mas pelo poder de seu amor puro e incondicional.

 

Mantras

Meditação no Absoluto (Mantras de abertura da Isopanisad e do Bhagavata Purana)

17 de setembro de 2017

Mantra de abertura da Īśopaniṣad:
oṁ
pūrṇam adaḥ pūrṇam idaṁ
pūrṇāt pūrṇam udacyate
pūrṇasya pūrṇam ādāya
pūrṇam evāvaśiṣyate

Tradução: O Absoluto é perfeito e completo. Desse completo original surgem outras unidades também completas em si mesmas; e mesmo retirando-se tantas unidades completas do todo-completo, o Absoluto ainda assim permanece perfeito e completo.

Mantra de abertura do Bhagavata Purana:

janmādy asya yato ’nvayād itarataś cārtheṣv abhijñaḥ svarāṭ
tene brahma hṛdā ya ādi-kavaye muhyanti yat sūrayaḥ
tejo-vāri-mṛdāṁ yathā vinimayo yatra tri-sargo ’mṛṣā
dhāmnā svena sadā nirasta-kuhakaṁ satyaṁ paraṁ dhīmahi

Meditemos [naquele que é] a Verdade última. Que é a causa tanto material quanto eficiente da criação, [manutenção e aniquilação] deste [universo], permeando-o e existindo à parte dele simultaneamente. Que conhece tudo completamente. Que brilha por seu próprio esplendor e é independente. Por quem os Vedas foram revelados no coração do sábio original [i.e. Brahmā, o demiurgo do universo]. Que confunde [até mesmo] os sábios. Fundamentada em cuja realidade a criação tríplice resultante das transmutações de fogo, água e terra não é falsa. Por cuja influência toda a falsidade é dissipada. (BhP 1.1.1)